Você está em: Notícias»Câmara encaminha contas do Hospital São Cristóvão ao MP após possível irregularidade

Câmara encaminha contas do Hospital São Cristóvão ao MP após possível irregularidade

Câmara encaminha contas do Hospital São Cristóvão ao MP após possível irregularidade
O projeto de lei ordinária 22 de 2021 prevê o repasse da Prefeitura de Faxinal dos Guedes ao Hospital São Cristóvão por gastos na pandemia. O projeto deu entrada na Câmara de Vereadores no último mês, mas as comissões da Casa pediram o detalhamento dos gastos do hospital antes de aprová-lo. Segundo os membros da Comissão, André Kilpp de Figueiredo, Eloi Bottin, Ronaldo Fernando Daga e Silvio Rosa da Silva enquanto o Hospital São Cristóvão paga cerca de R$ 44,00 o metro cúbico de oxigênio, a Prefeitura de Faxinal dos Guedes paga R$ 15,00 e a Prefeitura de Xanxerê R$ 18,00 do mesmo fornecedor. Diante da situação, os vereadores optaram por encaminhar a documentação ao Ministério Público. O objetivo é averiguar os gastos, para que somente depois os vereadores votem o projeto, quando tiverem resposta do promotor. – O Executivo nos mandou, há alguns meses, um pedido de repasse ao Hospital São Cristóvão, onde nós, vereadores, solicitamos um detalhamento sobre os gastos, antes de passarmos e aprovarmos. Com essa vinda dos documentos, nos deparamos com algumas confrontações de preços em um produto que é e foi muito usado nos tempos de Covid: o oxigênio. Pela compra feita pelo Hospital São Cristóvão existe uma diferença grande de preço, comparando com outros municípios, como por exemplo Xanxerê. Temos que averiguar essa diferença. Quando o projeto voltar do Ministério Público, nós vamos votá-lo – comenta André. Não há uma data prevista para a resposta do MP, sendo assim, o projeto segue na Câmara de Vereadores. CPI No mês de abril a Câmara de Vereadores havia aberto um processo de CPI para averiguar as contas do Hospital na pandemia, diante de algumas denúncias que havia recebido. No entanto, apenas quatro vereadores votaram a favor da CPI, motivo pelo qual ela foi questionada judicialmente. Agora, com o projeto de Lei, abre-se um novo capítulo, pois a Câmara teve acesso aos gastos que teria na CPI. Diante dos gastos e diferença de valores, cabe ao Ministério Público a averiguação.


© 2021 - Desenvolvido por Lancer